Ministro da Educação acaba com secretaria de inclusão de LGBT

Criada em 2004, a Secadi tinha objetivo de fortalecer atenção a grupos excluídos da escolarização

Publicado em 03/01/2019

Ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez acaba com secretaria que incluía discussão sobre LGBT nas escolas

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, extinguirá secretaria que era dedicada a promover ações em prol da diversidade e de relações étnico-raciais nas escolas.

Curta o Guia Gay Brasilia no Facebook

Segundo a Folha de S.Paulo, a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) será substituída pela subpasta Modalidades Reduzidas.

De acordo com a reportagem, esta foi uma manobra do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para eliminar as temáticas de direitos humanos, de educação étnico-racial e a própria palavra diversidade.

Criada em 2004, a Secadi tinha objetivo de fortalecer atenção a grupos que historicamente são excluídos da escolarização e promover cultura de respeito à diversidade nas escolas.

Segundo descrição das atribuições da secretaria, as políticas orientadas pela subpasta deviam considerar "questões de raça, cor, etnia, origem, posição econômica e social, gênero, orientação sexual, deficiências, condição geracional e outras que possam ser identificadas como sendo condições existenciais favorecedoras da exclusão social".

A nova subpasta, específica para alfabetização, ficará a cargo do proprietário de uma pequena escola de Londrina (PR), indicado pelo escritor Olavo de Carvalho, ideólogo de direita.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.