80% dos padres no Vaticano são gays, afirma jornalista

Obra de Frédéric Martel será lançada na próxima semana em 20 países

Publicado em 14/02/2019

Cerca de 80% dos padres no Vaticano são gays. Ao menos é o que alega o jornalista francês Frédéric Martel no livro No Armário do Vaticano - Poder, Hipocrisia e Homossexualidade.

Curta o Guia Gay Brasilia no Facebook

A obra, traduzida para oito línguas e que será lançada na próxima semana em 20 países, é o resultado de um estudo de quatro anos de Martel.

Mais
>>> Vaticano tem uma das maiores comunidades gays do mundo

O jornalista, gay assumido, entrevistou 1.500 pessoas, incluindo 41 cardeais, 52 bispos e monsenhores, 45 embaixadores do papa e mais de 200 padres e seminaristas, segundo o The Guardian.

A grande maioria falou, claro, anonimamente. Segundo o livro, quando mais homofóbico era o clero, mais gay ele era. Alguns religiosos se aceitam homossexuais e mantêm uma vida discreta. Outros, de acordo com a obra, se arriscam em encontros casuais. Uma parte deles se negam a se entenderem como gays.

O lançamento do livro ocorrerá no mesmo período em que o Vaticano receberá religiosos do mundo todo para discutir sobre abuso sexual na Igreja.


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.